Inclusão de Microcervejarias no Simples

Amigos,

serão votadas amanhã, dia 1 de julho de 2015, pela Comissão Especial do Supersimples na Câmara dos Deputados, diversos projetos que alteram o Simples Nacional.

COVERSIMPLES

Dentre várias propostas, temos a ampliação do limite de faturamento para enquadramento, a redução do número de faixas de tributação, aumento progressivo na transição de faixas (como ocorre no imposto de renda).

Porém, a principal mudança para o setor cervejeiro seria a inclusão das Microcervejarias no grupo de empresas habilitadas a optar pelo Simples Nacional, proposta pelo Deputado Federal Covatti Filho (PP-RS).

Caso essa proposta seja aprovada teremos uma redução significativa na carga tributária de boa parte das Microcervejarias brasileiras.

Na minha opinião, esse seria um grande avanço, e aí sim tornaria mais justa a tributação das Microcervejarias – as “Micro” mesmo, com produção pequena e local. As mudanças recentes oneraram ainda mais o pequeno produtor, e a opção pelo Simples poderia ser a salvação para muitas pequenas cervejarias que já estão fazendo as contas para ver se ainda vale a pena continuar no mercado.

E você pode ajudar !

No final desse post deixaremos os e-mails dos deputados que podem ajudar, e você pode (ou melhor, DEVE) ajudar a mostrar a força do mercado cervejeiro, enviando um e-mail para os nobres deputados, mostrando os benefícios que as Microcervejarias trazem à sociedade.

Caso queira, deixamos até uma sugestão de e-mail que poderá ser encaminhada a cada um dos parlamentares !

Ajude ! Faça a sua parte !

Bons goles, e muita cerveja para todos, se for com tributação justa melhor ainda !

Lista de e-mails dos deputados que podem ajudar
Clique aqui !

Exemplo de e-mail a ser enviados
Clique aqui !

Brassagem inaugural do Eataly !

Amantes da boa cerveja,

no dia 23 de junho de 2015 foi oficialmente inaugurada a cozinha de brassagens do Eataly, o novo point gastronômico da cidade de São Paulo.

A cozinha de brassagem fica anexa ao Brace, que fica no terceiro andar e é o principal restaurante do Eataly.

A fantástica cozinha cervejeira desse local, que será comandada pela competente equipe da Academia Barbante de Cerveja, é da Egisa e tem capacidade mensal que gira em torno de de 7.000 litros mensais. Lindos demais os equipamentos !

barbante_1

A primeira brassagem da casa foi realizada pelo Teo Musso, cervejeiro italiano fundador da Baladin, e Kátia Jorge e Vinícius Cabral, que fazem parte da Academia Barbante de Cerveja.

barbante_2
Gente Feliz: Katia Jorge, Marcelo Stein, Vinícius Cabral e Teo Musso

A receita escolhida para a primeira brassagem foi uma Witbier, temperada com coentro e casca de laranja, como manda o estilo, mas com a assinatura de Teo Musso, que adicionou duas raízes trazidas especialmente da Itália para dar um toque pessoal à receita.

Nas torneiras do Brace, tínhamos nessa noite festiva as seguintes opções em chope:

  • Barbante Weiss
  • Barbante IPA
  • Urbana Bergamosh, Mild Ale, 3,7% ABV
  • Urbana Gordelícia, Strong Golden Ale, 7,5% ABV
  • Baladin Leön, Belgian Dark Strong Ale, 9% ABV
  • Baladin Nazionale, Belgian Blond Ale,  6,5% ABV
  • Nacional Sa’si, Stout, 4,6% ABV
  • Paulistânia, Premium Lager, 4,8% ABV

A previsão é de que a Witbier elaborada por Teo Musso esteja disponível nas torneiras dos restaurantes do Eataly dentro de 20 dias.

Arrivederci, miei amici ! Birra per tutti !

St. Gallen lança Double Red especial para inverno

Vila St. Gallen lança chope especial de inverno

Quem pensa que chope é uma bebida exclusiva para dias quentes está enganado. Ele é sim uma excelente opção para os dias com baixa temperatura, como no inverno.

Pensando nestes dias mais frios que estão por vir, a Vila St. Gallen, templo da cultura cervejeira, criou o chope de inverno, estilo Double Red Ale, para os visitantes da serra de Teresópolis durante a estação. Elaborado pelo cervejeiro Gabriel Di Martino, o chope de inverno tem 9,2% de teor alcoólico, notas de cassis e adição da fruta na maturação, com cinco variedades de malte de cevada e três variedades de lúpulo.

saintgallenred2

“Chope, cerveja, bebidas boas, devem ser apreciadas em qualquer estação do ano e a qualquer momento. E no inverno não pode ser diferente, ainda mais se falando de cerveja, pela sua grande variedade de estilos que combinam com o clima frio e aconchegante da estação. As mais indicadas são as cervejas mais alcoólicas, adocicadas, amargas e complexas. Além de ajudar a esquentar elas combinam com pratos e comidas mais pesadas do inverno, e sem mencionar que são ótimas companhias para momentos a dois”, explicou Gabriel.

Para harmonizar, o chef Lucas Mendes, do restaurante Harlekin Pub, na Vila St. Gallen, sugere a torta St. Patrick, feita com carne de cordeiro, cozida lentamente com legumes, cogumelos e cerveja escura com molho encorpado e leve, coberto com massa folheada.

Vila St. Gallen

Com o objetivo de incentivar o turismo na região, a Cervejaria St. Gallen criou um espaço para disseminação da cultura cervejeira em 2011: a Vila St. Gallen. Réplica de uma pequena cidade homônima localizada na Suíça alemã, o espaço é composto por uma vila com capelinha, rua de comércio, agradáveis restaurantes, e por uma bela cervejaria – coração desta vila germânica – a Cervejaria Sankt Gallen. O local, inspirado nas tradições europeias, recebe mais de 5 mil visitantes por mês. A Vila St. Gallen é o templo da cultura cervejeira de Teresópolis. No local, são produzidos chopes artesanais e exclusivos, criados pelo cervejeiro Gabriel Di Martino, com edições sazonais e limitadas.

Especificações do Chopp:
Tipo: Ale
Estilo: Double Red Ale
Vol. Alc.: 9,2%
IBU: 40

Onde: Vila St. Gallen
Rua Augusto do Amaral Peixoto, 166 – Alto – Teresópolis
(21) 2642-1575

Quando
Quintas de 19h à meia-noite
Sextas de 12h à 00:30
Sábados e feriados de 12h à 00:30
Domingos de 12h às 19h

Fonte/Texto: Cervejaria St. Gallen / RPM Comunicação

Bacon Fest – Aniversário da Cervejoteca !

Amantes da boa cerveja,

geralmente quem gosta de uma boa cerveja também gosta de um bom pedacinho de bacon.

Nem todos, concordo, mas com certeza boa parte. Cerveja e bacon, tudo a ver.

Como também não é segredo pra ningém, o chef Ronaldo Rossi, da Cervejoteca, é apaixonado por esses dois temas.

cervejoteca

E, pra comemorar o quarto aniversário da Cervejoteca, o lugar mais legal do mundo (uau, já se passaram quatro anos!), ele levou a sério sua paixão por cerveja e bacon e vai promover a Bacon Fest !

baconfest3

Será uma festa onde o Bacon terá papel principal, e serão servidos:

  • Sanduíche de pancetta preparada na cerveja
  • Bolinho de bacon com molho de torresmo e pururuca de frango
  • Bolo de chocolate com cerveja e bacon caramelizado

Tudo isso regado pelas centenas de rótulos que podem ser encontrados na Cervejoteca !

Quando
Sábado, dia 20/06/2015, das 13:00 às 18:00 hs

Onde
Cervejoteca, o lugar mais legal do mundo
Rua Sena Madureira, 749,  São Paulo
Fone: 11 5084-6047

Página do Evento
Bacon Fest

Bons goles e muito bacon para todos !

Festa e Resultado X Concurso Nacional

Amantes da boa cerveja,

aconteceu no sábado, dia 06 de junho de 2015, em Porto Alegre, a Festa do X Encontro Nacional das ACervAs.

xnacional

A festa, que aconteceu na Casa do Gaúcho, foi muito legal, com farta distribuição de cervejas, caseiras e comerciais.

Para forrar o estômago, nada mais gaúcho do que churrasco: carne bovina, de porco, frango e linguiça.

As festas dos encontros nacionais das ACervAs são sempre as mais divertidas para os cervejeiros caseiros, sempre acabamos revendo amigos que vemos poucas vezes durante o ano, e esses reencontros, sempre regados com boas cervejas, são sempre divertidos.

A Casa do Gaúcho simplesmente BOMBOU, acho que foi uma das festas das ACervAs que teve mais público.

Já eram quase três horas da tarde, a festa tomada de gente desde as 13:30, ambiente já lotado, e a fila para entrar ainda estava assim:

XNacionalFila2

E o mais impressionante é de que, nem de perto, chegou a faltar cerveja.

Alguns stands mais conhecidos, como o da Seasons, chegaram a secar seus barris, mas mesmo no final da festa ainda tinha MUITA cerveja, muito mais do que todos juntos ali poderiam beber.

Ponto pra ACervA Gaúcha, pois sabemos como é difícil mensurar as quantidades de comida e bebida para eventos desse porte.

Durante a tarde, após algumas horas de bebedeira e conversa, foram também divulgados os ganhadores do X Concurso Nacional das ACervAs.

Dessa vez, infelizmente, não ganhamos nenhuma medalha.

O mais próximo que chegamos disso foi com uma Schwarzbier, inscrita no nome de Alexandre Perozzo, meu parceiro nas brassagens, que chegou a ficar entre as finalistas para as cervejas da categoria 2, “Bock, Amber & Dark Lagers”.

Mas vamos aos resultados:

Categoria 1: Pilsner & Light Lagers
1º Lugar:  Guilherme Alonso e João Luis Zilli    / 2A. German Pilsner (Pils) – PR
2º Lugar: Emerson Moreira / 1D. Munich Helles  – RJ
3º Lugar: Rodrigo Campos Oliveira / 1D. Munich Helles -CE

Categoria 2: Bock, Amber & Dark Lagers
1º Lugar: Everton Delfino e Gean Carlo Vila Lobus / 5D. Eisbock – PR
2º Lugar: Diogo Gomes, Gregório Ventura e Rodrigo Resende  / 4B. Munich Dunkel – RJ
3º Lugar: Carlos Henrique Menezes e Silva e Alessandro Pereira Lins  / 4C. Schwarzbier – ES

Categoria 3: Híbridas
1º Lugar: Marcelo Mendes / 6C. Kolsch – SP
2º Lugar: Ramon Gontijo Garcia Barbosa e Leonardo Couto Nascimento / 7B. California Common Beer  – MG
3º Lugar: Roberto Pusch Garcia e Dilino Adolfo / 7C. Dusseldorf Altbier – PR

Categoria 4: English Pale Ale
1º Lugar: Alberto De Medina Coeli Villwock e André Ellwanger  / 8C. Extra Special/Strong Bitter(English Pale Ale) – RS
2º Lugar: Estevão Chittó e Frederico Ottoni / 8C. Extra Special/Strong Bitter(English Pale Ale) – RS
3º Lugar: Gustavo Nelio De Salles / 8C. Extra Special/Strong Bitter(English Pale Ale) – MG

Categoria 5: Ales Irlandesas e Escocesas
1º Lugar: Paulo Mattos / 9E. Strong Scotch Ale – SP
2º Lugar: Ricardo Zambelli / 9E. Strong Scotch Ale – SP
3º Lugar: Everton Delfino / 9E. Strong Scotch Ale – PR

Categoria 6: Ales Americanas
1º Lugar: Filipe Bortolini e Renan Bassani / 10A. American Pale Ale – RS
2º Lugar: Robert Krause Reichert e André Luís Krause   / 10A. American Pale Ale -RS
3º Lugar: Lucas Meneghetti e Maurício Gutteres / 10B. American Amber Ale – RS

Categoria 7: Porter & Brown Ale
1º Lugar: Lucas Meneghetti e Estevão Chittó / 11C. Northern English Brown Ale – RS
2º Lugar: Everton Delfino / 11A. Mild – PR
3º Lugar: Rodrigo Santos Sant’Anna / 12C. Baltic Porter – RS

Categoria 8: Stout
1º Lugar: Paulo Mattos / 13F. Imperial Stout – SP
2º Lugar: Carlos Henrique Menezes e Silva  e Alessandro Pereira Lins / 13F. Imperial Stout – ES
3º Lugar: Maurício Ribeiro De Vasconcelos e Edson Fernando Da Silva / 13C. Oatmeal Stout – MG

Categoria 9: India Pale Ale
1º Lugar: Marcelo Mendes / 14B. American IPA – SP
2º Lugar: Carlos Henrique Menezes e Silva e Alessandro Pereira Lins / 14C. Imperial IPA – ES
3º Lugar: Conrado Leite e Vitor Eugenio De Toledo Junior / 14B. American IPA – SP

Categoria 10: Trigo e Centeio
1º Lugar: Lúcio Botelho / 15C. Weizenbock – RJ
2º Lugar: Rodrigo Jordão Magalhães Rosa e Raul Santiago Rosa  / 15A. Weizen/Weissbier – SP
3º Lugar: Natanael Batista / 15A. Weizen/Weissbier – RS

Categoria 11: Ales Belgas e Francesas
1º Lugar: Paulo Diniz e Rubens Diniz / 16E. Belgian Specialty Ale (Fermentação primária com levedura Saison. Fermentação secundária com Brettanomyces. Utilização de Malte de Centeio)- SC
2º Lugar: Ronaldo Dutra Ferreira / 16E. Belgian Specialty Ale (Belgian Pale Ale com adição de Brettanomyces) – SC
3º Lugar: Paulo Mattos / 16E. Belgian Specialty Ale(Belgian IPA) – SP

Categoria 12: Sour Ales
1º Lugar: Ronaldo Dutra Ferreira / 17E. Gueuze – SC
2º Lugar: Rafael David e Rubens Hilcko e Marco Koch / 17B. Flanders Red Ale – PR
3º Lugar: Rafael David e Marco Koch / 17C. Flanders Brown Ale/Oud Bruin – PR

Categoria 13: Belgian Strong Ale
1º Lugar: Guilherme Follmer e Eri J.Follmer/18B. Belgian Dubbel-RS
2º Lugar: Rafael Bernardes Rossetto e Paulo Rossetto Neto / 18D. Belgian Golden Strong Ale – PR
3º Lugar: Carlos Henrique Menezes e Silva e Alessandro Pereira Lins  / 18E. Belgian Dark Strong Ale – ES

Categoria 14: Strong Ale
1º Lugar: Rafael Oliveira e Daniele Felippe / 19C. American Barleywine  – RJ
2º Lugar: Alexandre Zoratto e Carlos Carriconde / 19A. Old Ale – RS
3º Lugar: Marlos Monçores e Quatro Graus / 19B. English Barleywine – RJ

Categoria 15: Cervejas com Frutas / Outros Vegetais
1º Lugar: Lucas Meneghetti e Estevão Chittó / 20A. Fruit Beer (Berliner Weisse com uvas Cabernet Sauvignon) – RS
2º Lugar: Paulo Diniz e Rubens Diniz / 20A. Fruit Beer (Porter com framboesas)-SC
3º Lugar: Estevão Chittó e Lucas Meneghetti / 20A. Fruit Beer (Saison com morangos e Brettanomyces ) – RS

Categoria 16: Defumadas e Envelhecidas em Madeira
1º Lugar: Marlos Monçores e Quatro Graus / 22C. Wood-Aged Beer(Imperial Stout maturada em carvalho)- RJ
2º Lugar: Marlon Hammes e Elias Hammes / 22A. Classic Rauchbier- PR
3º Lugar: Ronaldo Dutra Ferreira / 22C. Wood-Aged Beer(Belgian Dark Strong Ale com Amburana) – SC

Categoria 17: Especiais
1º Lugar: Gabriel Kollross / 23A. Specialty Beer (Saison com hibiscus) – SC
2º Lugar: Lucas Meneghetti e Estevão Chittó / 23A. Specialty Beer (Imperial Porter with French Pressed Coffee) – RS
3º Lugar: Gustavo Franke Brixner / 23A. Specialty Beer (Dry stout com folhas de tabaco e maturada com chip de carvalho envelhecido em Tequila) – RS

Categoria 18: Hidromel
1º Lugar: Pedro Joel Da Silva Filho / 24C. Sweet Mead – RS
2º Lugar: Douglas Rodrigues / 26C. Open Category Mead (Mel de angico; maturado com lascas de madeira de angico.) – SC
3º Lugar: Douglas Rodrigues / 25C. Other Fruit Melomel (Suco natural de cajá.)  – SC

Best of Show
 1º Lugar: Lucas Meneghetti e Estevão Chittó / 20A. Fruit Beer (Berliner Weisse com uvas Cabernet Sauvignon) – RS
2º Lugar: Paulo Diniz e Rubens Diniz / 16E. Belgian Specialty Ale (Fermentação primária com levedura Saison. Fermentação secundária com Brettanomyces. Utilização de Malte de Centeio) – SC
3º Lugar: Marcelo Mendes / 6C. Kolsch – SP

Além de todas as premiações com as medalhas para cada categoria, a organização do concurso criou o troféu “Panela de Ouro”, para o cervejeiro com maior número de medalhas.

E o campeão do troféu “Panela de Ouro” foi Lucas Meneghetti, da ACervA Gaúcha, que faturou 2 ouros, 1 prata e 1 bronze.

Parabéns, Lucas Meneghetti ! E parabéns também a Estevão Chittó, seu parceiro, que também levou uma prata e um bronze pra casa.

Essa dupla matou a pau !!!!!!

A ACervA Paulista também faturou algumas medalhas ! Dos nossos competidores, os maiores vitoriosos foram meu “primo” Paulo Mattos, com dois ouros e um bronze, e Marcelo Mendes, com dois ouros e um bronze no Best of Show com sua Kolsch!

xnacionalpaulo
Paulo ostentando suas medalhas !

Parabéns, Paulo e Marcelo!

Para ver os resultados em PDF, de uma maneira mais completa, incluindo as cervejas finalistas, clique aqui.

E que venha o próximo, no Rio de Janeiro. em 2016 !

A ACervA Paulista marcará presença mais uma vez, com certeza !

xnacionalacerva

Em tempo: gostaria de registrar também um parabéns especial para o nosso velho amigo Rodrigo Jordão de Magalhães Rosa, que junto com seu filho Raul Santiago Rosa, conquistou uma prata na “Categoria 10: Trigo e Centeio” com o estilo 15A Weizen/Weissbier.

xnacionalrodrigo
Palavras dele: “Depois de tanto bater na trave, até que enfim ganhamos uma medalhinha !”

Fica aqui nosso parabéns para a dupla, pai e filho !

Bons goles a todos e até a próxima !

Cartola Informativo 07: Eita, Gum !

Pois é, Cartoleiros do Beer4Free, mais uma rodada já se foi.

cartola

A sétima !

Quase 20% do campeonato já se foi, e o São Paulo tem o melhor início da sua história em pontos corridos, superando as campanhas do tri-campeonato ! Será que o vovô se aposenta com mais um caneco?

Com relação à nossa liga, nessa rodada tivemos na liderança o Katimba S.C., do cartoleiro Joel, com 72.56 pontos.

E na outra ponta, tivemos o COPO CHEIIO F.C, de Tiago Silva, com  2.49 pontos !

Meio vazio esse Copo Cheio… hahahaha !

O curioso é que temos outro Copo Cheio, esse sim muito bem na vice-liderança do campeonato, com 393.31 pontos, seguindo de perto o líder MarcAntonio United, que tem 401.55.

E quem diria que eu viveria para ver o dia em que Maikon Leite seria “o cara” da rodada ! Ele sozinho fez 16,90 pontos, numa rodada fraca em que não tivemos muitos jogadores com pontuação expressiva !

Eu, mesmo com o Maikon Leite, consegui fazer apenas 23.85 pontos ! Ê lasquera !

E o bisonho da rodada não poderia ser outro: Gum, do Fluminense, que fez -7 pontos e desvalorizou 3.20 cartoletas !

Quem acompanha o Cartola faz tempo sabe que o Gum, apesar de algumas vezes pontuar até bem, de vez em quando dá uma dessas e fica em último lugar em ambos quesitos, pontuação e desvalorização.

Me lembro de uma vez em que escalei esse maldito e ele tomou um cartão amarelo, fez um gol contra, fez mais umas 200 faltas, e no fim do jogo ainda cometeu um penalti e foi expulso ! Não lembro exatamente, mas ele fez uma pontuação que beirava os 20 pontos negativos !

Isso faz tempo, foi na época em que eu ainda escalava jogadores do Fluminense.

Agora, prometi a mim mesmo que só volto a escalar jogadores do Fluminense, com o maior prazer, depois que ele pagar a Série B que está devendo.

Pode pagar só uma que pra mim já está valendo !

É isso aí, amigos Cartoleiros do Beer4Free !

Prestigiem nosso Blog, e nos vemos por aí !

Semana que vem, teremos cerveja grátis no aplicativo, fiquem atentos !

Cartola Informativo 06: Vai cair…

Cartoleiros do Beer4Free, seis rodadas já se foram !

O Copo Cheio, de Sérgio Klein, continua líder com 358.45, mas agora seguido bem de perto por MarcAntonio United, do cartoleiro Marco Antônio, que tem 354.99 !

cartola

E o pelotão de elite começa a se distanciar, a diferença entre os 10 primeiros já está em praticamente 50 pontos !

Merece menção honrosa nessa rodada o cartoleiro Rick, do time Cacha: ele conseguiu a façanha de fazer -4.51 pontos, contando com o Alex do Inter, Wagner e Fred do Fluminense, Kelvin do Palmeiras e Manoel do Cruzeiro… jogadores até que razoáveis, mas o time do Rick foi muito mal !

Falando em mal… E o verdão, hein? E o verdão?

O bisonho dessa rodada, com folgas, é Oswaldo de Oliveira, que não consegue botar esse Palmeiras pra jogar bola !

Anotem aí: ele não pega o Flu ! Ele já caiu !

É que como ele é meio lerdo, demora pra entender que foi mandado embora.

Na verdade, a diretoria já havia mandado o Oswaldo embora semana passada, mas como ele é devagar, só vai entender o recado quando chegar pra trabalhar e encontrar o primo dele, o Oliveira bom, o Marcelo, sentando no banco em seu lugar.

Demora não, Parmera, que o Santos também está de olho !

E vou encerrar o informativo de hoje com um momento Augusto Cury, e duas imagens que ilustram muito bem essa frase:

NUNCA DESISTA DE SEUS SONHOS, POR MAIS IMPOSSÍVEIS QUE ELES POSSAM PARECER.

drougas
Foto: Desimpedidos
FOTO: Getty Images
FOTO: Getty Images

Abraço a todos e até breve !

Cartola Informativo 05: Pintou o Campeão !

Amantes da boa cerveja,

pitacos rápidos sobre a quinta rodada: Pintou o campeão !

Vasco da Gama, o campeão da Série B 2016 !

hahahahahahaha

Cai de novo?

Eurico !!!!!!!!!!!! Faz alguma coisa !!! Cobre a oferta e leva o advogado do Flu aí pra São Januário, porque acho que você vai precisar !!!

Na nossa liga, nessa rodada o MarcAntonio United, do cartoleiro Marco Antônio, detonou e foi líder com 97,63 pontos !

No campeonato, segue como líder o Copo Cheio, de Sérgio Klein, com 299.5 pontos !

E como bisonho da rodada eu poderia colocar todo o time do Vasco ou todo o time do Flamengo, mas acho que merece destaque especial o Gilberto, atacante do Vasco ! Perder penalti quando o time está nessa situação não é mole não !

Giba, volta pra Lusa !!!!! Lá você era matador !!!!
Agora, está só matando os vascaínos do coração !!!
hahahhhahahah

Bons goles e até a próxima !

X Encontro Nacional ACervAs

Amantes da boa cerveja,

a partir de amanhã ocorre o X Encontro Nacional das ACervAs, evento anual realizado pelas ACervAs para festejar a cerveja caseira no Brasil.

xnacional

No evento, que normalmente ocorre em feriado prolongado, são ministradas palestras, feitos passeios e excursões, tudo ligado à cerveja.

Além disso, é realizado também o Concurso Nacional das ACervAs, momento do ano mais aguardado pelos cervejeiros caseiros.

Seria, fazendo uma analogia, o Campeonato Brasileiro das cervejas caseiras.

Nesse ano, tivemos 700 amostras inscritas, em todos os estilos do BJCP e também em hidromel.

O concurso será bastante concorrido, e com certeza teremos cervejas de ótima qualidade concorrendo por medalhas.

Com relação às palestras, elas ocorrerão nos dias 04 e 05 de junho, e os palestrantes serão os seguintes: Daniel Christo, Luiz Felipe Morais, Marcelo Barga, Nathan Smith, Paulo Schiaveto, Pete Slosberg e Ronaldo Rossi.

Além das palestras, será feito um Pub Crawl na noite de quinta-feira, onde será promovida visita a alguns dos pubs mais tradicionais de Porto Alegre como Biermarkt Von Fass, Lagom Moinhos e Hidden Brewpub.

Será feito também um churrasco de confraternização entre os cervejeiros, mas os ingressos para o churrasco infelizmente estão esgotados.

Porém, o momento mais aguardado é, certamente, a festa de encerramento do encontro nacional das ACervAs. Essa festa sempre é muito bem organizada, e não faltam opções de excelentes cervejas, ótimas comidinhas e uma boa música para acompanhar.

E, claro, o momento mais esperado da festa, que é a divulgação dos resultados do Concurso Nacional das ACervAs, com a premiação dos ganhadores.

Espero, esse ano, ganhar alguma medalhinha para poder comemorar “in loco” com os amigos, porque na última edição, na qual fui premiado, eu não estava presente para comemorar !

Maiores informações podem ser obtidas em
http://nacional.acervagaucha.com.br/

Bons goles e, pra quem for para Porto Alegre, nos vemos no sábado

Mais Mimimilho

Amantes da boa cerveja,

eis que uma velha discussão no mercado cervejeiro voltou a ganhar as mídias sociais nos últimos dias: a utilização de milho como adjunto nas cervejas.

Como tem acontecido muito nesse país – ou melhor, nesse planeta – tudo tem virado um “Fla-Flu”, uma discussão generalizada com dois lados tecendo críticas e trocando agressões, muitas vezes com profunda falta de respeito.

Eu, particularmente, acho que cada um é de dono de si, e tem o direito de fazer suas próprias escolhas – e isso inclui o direito de produzir e vender cervejas que levam milho em sua composição, pelo lado do produtor, e de comprar e consumir cervejas que levem milho, pelo lado do consumidor.

Ponto. Simples assim.

Esse assunto ressurgiu, mais uma vez (parece o Jason) quando a Wäls divulgou nas redes socias que está elaborando uma nova receita de IPA, a HopCorn IPA, que levará em sua composição 15% de milho. Tecnicamente falando, ela levará High Maltose, uma espécie de xarope de glicose de milho, que possui alta fermentabilidade e ajuda a aumentar o teor alcoólico da cerveja.

Bora fazer uma IPA ?
Bora fazer uma IPA ?

Como é uma IPA, e espera-se que o astro numa cerveja desse estilo seja sempre o lúpulo, eles utilizarão Amarillo, Columbus e Cascade, e a cerveja ainda passará por dry hop de Centennial.

Bastou a divulgação dessa notícia que o tema, mais uma vez, começou a gerar um grande Mimimi, com inúmeras críticas (e piadas) com relação à utilização do milho nessa nova receita.

Pois bem !

IPA sempre fou um estilo muito controverso, pois devido à sua popularidade sempre surgem variações – como as Black IPA ou as Rye IPA, por exemplo – e a nova revisão do BJCP, um guia de estilos bastante difundido no mundo, trouxe uma inovação: o estilo 21B está classificado como “Specialty IPA”, e já elenca as principais variantes encontradas com mais facilidade mundo afora. Esse guia destaca as seguintes variantes de IPA: Belgian IPA, Black IPA, Brown IPA, Red IPA, Rye IPA e White IPA.

Entretanto, a maior inovação dessa nova divisão, na minha visão, foi a flexibilização deixada pelos autores do guia, que já sugerem que novas variantes de IPA poderão ser acrescentadas no futuro, como por exemplo uma St. Patrick’s Day Green IPA, citada no próprio guia BJCP como um exemplo de candidata futura a ser promovida a uma Specialty IPA catalogada no BJCP, e de como utilizar essa categoria “guarda-chuva” para abranger novas variedades do estilo IPA com o passar do tempo.

Isto posto, vamos à análise da Rye IPA, um estilo bastante difundido, tendo sido produzido até mesmo aqui em São Paulo, pela cervejaria Urbana uns tempos atrás.

Segundo o BJCP, o estilo Rye IPA pode ser produzido com malte Pale Ale como base e de 15% a 20% de centeio.

Aí eu deixo a pergunta: por que essa discriminação com o milho? Por que 15% de centeio pode, e 15% de milho não pode?

E a reposta a essa pergunta pode passar, a meu ver, por uma série de conjecturas.

Será que é pelo fato da grande indústria cervejeira ter, desde sempre, não só usado, mas sim abusado do milho, não em receitas mais nobres como IPAs, mas em cervejas de massa como as Light Lager de mercado? Será que essa massificação acabou, por assim dizer, “denegrindo” a imagem do pobre vegetal?

Não é nenhum segredo que, no final das contas, qualquer empresa visa o lucro. O objetivo de qualquer organização é o lucro. E não é segredo pra ninguém que a introdução do milho (e o arroz?) foi sim para baixar os custos de produção. Foi sim pra conseguir atingir um teor alcoólico satisfatório com o mínimo de custo possível, porém sempre respeitando a legislação, ou seja, colocando o mínimo de malte possível para poder chamar aquela bebida de cerveja.

Aquela conversa de que o paladar brasileiro pede uma cerveja leve é balela, conversa pra boi dormir. Cerveja com corpo leve pode ser feita só com malte, poderíamos ter uma Kölsch, por exemplo. A suposta preferência dos brasileiros por cervejas mais leves acaba sendo uma desculpa para o abuso desses adjuntos que, além de conferir menos corpo à cerveja, ainda barateiam, e muito, o custo de produção.

Foram eles próprios que, ao priorizar o lucro em detrimento da qualidade, acabaram por tornar o pobre do milho o vilão da história.

Não é o milho o vilão. O vilão é o ser humano. É a ganância.

Por fim, achei bastante ousada a atitude da Wäls – ou melhor, da Ambev – de mexer num vespeiro ao produzir uma IPA com milho, pois amantes de IPA, em geral, são bastante apaixonados por sua cerveja, e muitas vezes essa paixão acaba se sobreponto à razão.

De minha parte, experimentarei a cerveja com bastante curiosidade. O que vale, no final das contas, é ter uma boa cerveja para degustar. Se ela for sensorialmente boa, tiver um preço razoável, for uma boa IPA e agradável de se beber, que me importa se levou 15% de milho em sua composição?

Aliás, está sendo bastante divulgado o percentual de milho – 15% – nessa cerveja !

Portanto, pra finalizar, fica aqui um desafio à Ambev: se, ao adquirir a Wäls, e ao lançar uma IPA com milho em sua fórmula, eles não se constrangem em divulgar o percentual de milho utilizado, por que não fazer o mesmo com TODAS as suas cervejas?

Como eu disse, respeito todas as opiniões, e acho que no mercado tem espaço para todos.

Mas uma das críticas que tenho às grandes cervejarias é a falta de transparência: como já disse, não vejo problema nenhum na produção e comercialização de cervejas que levem quanto milho for em sua fórmula. Mas por que raios isso não é divulgado, de maneira transparente, no rótulo de cada cerveja?

Querem fazer, que façam ! Dou todo o apoio ! Mas que seja de uma maneira transparente e honesta com seus clientes !

Vai, Ambev ! Faça isso ! Inove ! Coloque os percentuais de malte e de adjuntos (especificando cada um deles) nos seus rótulos !

Com certeza ganhariam muitos pontos no conceito de muita gente por aí ! Eu sou um deles ! Transparência e respeito com os clientes nunca é demais ! E se essa atitude fosse espontânea, e não decorrente de alguma lei obrigando a fazer isso, a atitude seria ainda mais louvável !

Bons goles a todos, seja cerveja com milho ou puro malte