Cartola Beer4Free – Rodadas 03, 04, 05 e 06 !

Amantes da boa cerveja,

estou em débito com vocês, principalmente com a galera do Cartola!

Apesar de estarmos um pouco atrasados, estamos sempre de olho nos líderes de cada rodada !

E os líderes das últimas rodadas foram os seguintes:

Rodada 03
Jr_Stringhi, do cartoleiro Drunk’s
lider_03

Rodada 04
Drunk Walkers, do cartoleiro Bruno Prates
lider_04


Rodada 05

Whiskyzeiros FC, do cartoleiro Danilo Melo
lider_05


Rodada 06

TUDO PELA MARVADA FC, do cartoleiro Gabriel Vieira
lider_06

O líder atual do campeonato é o cervejanocopo, do cartoleiro Carvalho Júnior, com 357,45 pontos, seguido de perto pelo TUDO PELA MARVADA FC, que tem 356.63 no total !

Mas o campeonato está apenas no começo, tem muita raiva pra passar ainda com esse Cartola maldito !

E a minha praga está lançada: tenho certeza de que o desgraçado do Grafite, enquanto estiver no meu time do Cartola, não vai fazer mais nenhum gol no brasileirão. Foi só eu escalar o maldito que ele parou de fazer gols!

Mas eu sou teimoso e não vou tirar esse encosto do meu time. Só de raiva, vou deixar até o final do campeonato ! E é bem provável que ele acabe o campeonato apenas com 6 gols, todos marcados antes de eu ter a maldita ideia de investir quase 30 cartoletas nesse lazarento!

Só tiro quando ele jogar contra o São Paulo !
:)

Galera, boas cervejas e até mais !

Cartola Beer4Free – Rodada 02

Amantes da boa cerveja,

tudo começou muito equilibrado, tanto no Campeonato Brasileiro como na nossa Liga no Cartola !

Porém, apesar do equilíbrio, temos alguns cartoleiros se destacando, e o líder da nossa liga, o HomeBrew FC, do cartoleiro Pedro Falcão Martins, já está quase com o dobro de pontos que o meu time !

homebrew

Que fase, como diria Milton Leite !

Meus objetivos nessa temporada são bem modestos: gostaria de liderar APENAS UMA das rodadas. Fazendo isso, acabo o ano feliz !

:)

Mas o líder dessa rodada foi o  Tolkien F C, do cartoleiro Copola, que conseguiu a façanha de fazer 79,66 pontos ! Pode colocar essa pontuação na conta do Felipe Azevedo, atacante da Ponte que não teve dó do Palmeiras e marcou duas vezes !

 TolkienParabéns, Tolkien FC !

Ainda não decidi qual cervejinha você levará para brindar a liderança nessa rodada, mas fique tranquilo que lembraremos de você.

Por questões logísticas, esperaremos o encerramento de mais algumas rodadas (talvez até a décima), para facilitar a nossa vida caso algum cartoleiro ganhe mais de uma rodada, mas fique sossegado que não esqueceremos de você.

Aqui não é Social Beers não: se prometemos uma cerveja para você, pode ficar tranquilo que ela será enviada, mais cedo ou mais tarde !

E de graça ! Diferente do Social Beers, onde você paga caro e fica a ver navios !

:)

Bons goles a todos !

Cartola Beer4Free – Lider Rodada 01

Cervejeiros Cartoleiros,

e já temos o líder da rodada de número 01: é o Murilo Margutti, cartoleiro do time Drunkinhood !

Lider_Rodada_01

Parabéns, Murilo !

Conseguir a proeza de marcar  78.44 pontos na primeira rodada não é fácil !

E para comemorar a liderança nessa primeira rodada, você será presenteado com uma Dádiva Venice Beach, uma Session IPA de 4,5% de álcool e super leve, mas extremamente refrescante e aromática.

cerveja-dadiva-venice-beach-session-ipa-lata-350ml

Uma cerveja que mostra que é possível demonstrar personalidade mesmo com cervejas mais leves !

Murilo, por favor entre em contato conosco, para que em breve possamos enviar a cerveja para você.

Maiores informações sobre essa cerveja, ou sobre a Dádiva, podem ser visualizadas aqui.

Uma cerveja pra se passar o dia todo bebendo !

 Bons goles a todos !

Beer4Free Cartola 2016 – Iniciando as Atividades

Galera,

meio em cima da hora, mas a Liga Beer4Free foi criada no Cartola !

cartola

Quem quiser participar, basta entrar na liga, aceitaremos inscrições até o final do mês de julho !

Como o sistema do Cartola mudou muito, ele não herdou os participantes da última edição de maneira automática, como era feito habitualmente nos últimos anos.

Dessa maneira, quem quiser participar basta solicitar a inclusão na Liga.

No último ano, o cartoleiro Marco Antônio, do time Marcantonio United, faturou o caneco e levou um bocado de cervejas pra casa, além de outras que foram distribuídas no decorrer do campeonato.

marco20
Olha a cara de felicidade da criança! Esse deve ser cachaceiro!

Nesse ano, continuaremos com a mesma fórmula: no final do campeonato, o campeão leva uma super cesta de cervejas para casa, além de algumas cervejas extra, que distribuiremos ao longo das rodadas, além de algumas cervejas também para o campeão do primeiro turno.

Esperamos por você na nossa Liga !

Boas cervejas e boa sorte a todos.

Destrinchando o Estilo – Baltic Porter

Amantes da boa cerveja,

como primeiro estilo para a sessão Destrinchando o Estilo escolhemos o Baltic Porter (BJCP 2015 9C), que é também o estilo selecionado para a 5ª edição do Concurso Cervejeiro Caseiro promovido pela cervejaria Bierland.

A seguir destacaremos alguns pontos desse estilo.

História

O estilo Baltic Porter tem sua origem, obviamente, no estilo Porter, que remonta a Londres, no século XVIII, em plena Revolução Industrial.

Naquela época, a maioria do transporte e carregamento de mercadorias pelas ruas estreitas de Londres eram feitos manualmente,  e as cervejas escuras que aplacavam a sede desses trabalhadores ganharam a alcunha de Porter devido a esses trabalhadores, que eram assim chamados.

Esse parece ter sido um dos primeiro estilos de cerveja que pode ser minimamente classificado. Londres era, à época, uma grande metrópole, com uma grande população em constante expansão, e com produção de cerveja em escalas industriais. Toda essa produção, unida à literatura e documentação que existe sobre as cervejas fabricadas na época, nos leva a compreender que essas cervejas fizeram muito sucesso.

Fizeram e ainda fazem, porque estamos falando de uma história de quase 300 anos de fabricação desse estilo tão especial.

Nos primórdios da fabricação desse estilo de cerveja, por volta de 1720, era impossível determinar-se as principais características técnicas da cerveja, como gravidade ou teor alcoólico. Termômetros e densímetros sequer eram utilizados, e boa parte do conhecimento para fazer cerveja era transmitido de maneira empírica.

Nessa época, alguns documentos das décadas de 1730 / 1740 indicam que essas cervejas eram fabricadas totalmente com um único tipo de malte, Brown Malt ou Blown Malt em algumas literaturas. É pouco provável que isso seja verdade, porque provavelmente a conversão seria bastante problemática devido à quase ausência de enzimas desses maltes especiais torrados. O mais provável é que as cervejarias utilizassem uma mistura de malte Pale Ale com o Malte Brown citado nesses documentos.

De qualquer maneira, por volta de 1780, com o surgimento de densímetros e a utilização destes e também dos termômetros no processo de fabricação, além da publicação de alguns estudos – como por exemplo Statical Estimates os the Material for Brewing (1784, John Richardson)-, os fabricantes de cerveja perceberam que os maltes base, como o Pale Ale, geravam um extrato muito mais denso que o Brown.

Com a capacidade técnica de se medir exatamente o extrato gerado por cada tipo de malte, as cervejarias puderam começar a ajustar suas receitas e a dominar a arte da criação da cerveja, usando cada malte de acordo com suas melhores características: os maltes base com o objetivo de obter uma OG adequada, e os maltes torrados para conferir as notas desejadas às cervejas.

Como dito anteriormente, Londres era uma cidade muito poderosa, e seus produtos – e principalmente sua cerveja – eram exportados a diversos lugares, como Índia, América e toda a Europa. E um dos importadores mais vorazes das cervejas Londrinas era justamente a Rússia.

Existem muitas histórias sobre a relação das Stouts com a Rússia, mas uma delas diz que um empreendedor belga, chamado Albert LeCoq, montou uma rede de distribuição de cervejas Inglesas na Rússia. Diz essa história que LeCoq, durante a Guerra da Crimeia, que durou de 1853 a 1856, se sensibilizou com os soldados russos feridos, e distribuía larga quantidade de bebidas a eles. E o Csar russo concedeu um título imperial a LeCoq., e as cervejas que ele exportava para a Rússia nessa época (Barclay’s Stout segundo algumas fontes) passou a ser chamada de Imperial Stout.

Seja verdade ou não, o fato é que as Stouts inglesas desempenharam um papel muito importante na Rússia.

O próprio A. LeCoq, mais tarde, mudou-se para Tartu, local hoje pertencente à Estônia, e passou a produzir suas próprias cervejas por lá.

As cervejas que começaram a ser produzidas nessa região Báltica, não só por LeCoq mas por várias outras cervejarias, eram menos escuras e torradas que as Londrinas, e por vezes utilizavam maltes tostados mais suaves, provenientes de cervejarias alemãs e austríacas.

Além disso, o mundo começava a ser, gradualmente mas irreversivelmente, dominado pelas Lager que haviam acabado de surgir, e essas cervejas russas, embora tenham origem nas Ales Inglesas, passaram aos poucos a serem produzidas com fermentos Lager.

Em linhas gerais, as Porters da região da Escandinávia ainda guardavam uma relação maior com sua origem, com um torrado mais presente e fermentação Ale, enquanto as cervejas produzidas mais ao sul, para o lado da Estônia, Lituânia e Polônia são mais maltadas, tem menos presença de torrado e são fermentadas com cepa Lager.

E, assim, mais ou menos, foi surgindo um novo estilo ! Será que foi assim mesmo? Coisa linda !

Como diria Chicó, de O Auto da Compadecida:
“Não sei. Só sei que foi assim !”
:)

Características

As cervejas do estilo Baltic Porter são fermentadas com fermento Lager em sua maioria, embora o estilo tenha sua origem nas Porter, que são cervejas Ale.

Caso seja utilizado fermento Ale, deve-se trabalhar no limite baixo de temperatura para a cepa escolhida, para que o fermento tenha pouca contribuição em termos de aromas e sabores.

No aroma, deve predominar o malte, com dulçor aparente, remetendo a caramelo, toffe. O álcool, que pode estar aparente, deve estar em harmomia com os demais aromas,  e ésteres são aceitáveis, lembrando ameixa, uva passa ou vinho do porto.

Na aparência, não é tão escura como uma Stout, pode ser de um cobre avermelhado, rubi intenso, marron escuro, mas nunca preta. Colarinho bege persistente é desejável. Translúcida, embora algumas versão possam ser um pouco mais opacas.

Um sabor com dulçor acentuado de malte, podendo ser um pouco frutado, lembrando calda de ameixa, uva passa e frutas escuras. O torrado não pode ser muito evidente, é mais sutil, apenas um toque de café / tostado, muito menos do que numa Stout, por exemplo. É macia e aveludada, com um corpo substancioso e envolvente. Amargor baixo (apenas para dar suporte ao malte) e equilíbrio do conjunto, sem um álcool desagradável, fecham a gama de sabores desse estilo.

A carbonatação pode ser média / média alta, mas sem excessos e sem efervescência.

Exemplos Comerciais

Um dos destaques dessas cervejas, além de seu sabor e personalidade marcantes, são seus rótulos e garrafas, que são muito bonitos e são um show à parte.

A seguir mostraremos alguns dos principais rótulos do estilo !

A. Le Coq Porter (Estônia) – 6,5% ABV

alecoq

Por tudo o que já foi dito anteriormente sobre Albert Le Coq, ter o prazer de beber uma dessas cervejas é, na verdade, o equivalente a uma aula de história.

Okocim Porter (Polônia) – 8,1% ABV

okocim_25

Produzida nas imediações da Cracóvia, na Polônia, essa cerveja tem uma personalidade bastante marcante, com toques frutados e de canela, e um teor alcoólico que pode ser percebido no conjunto potente que a cerveja entrega. Atualmente pertence à Carlsberg.

Zywiec Porter (Polônia) – 9,5% ABV

Zywiec

Essa potente cerveja, cuja cervejaria está atualmente sob o guarda-chuva da Heineken, é uma verdadeira pancada de aromas e sabores: doçura do malte, com uma presença de melado e torrado lado a lado, encobrem parcialmente o alto teor alcoólico dessa encorpada e deliciosa cerveja.

Baltika #6 Porter (Russia) – 7% ABV

baltika_25

Uma das mais fáceis de se achar por aqui, junto com a Utenos, é uma boa representante do estilo: macia, aveludada, com um malte adocicado balanceado por um final seco, com um álcool que começa a querer mostrar as caras no final do gole.

No Brasil, a Baltika é distribuída pela Uniland , que fica no Morumbi, em São Paulo (http://uniland.com.br/).

Utenos Porter (Lituânia) – 6,8% ABV

utenos_50

Aroma e sabor de caramelo, frutas escuras, passas, um corpo um pouco menos denso que suas concorrentes. Coloração rubi avermelhada e espuma densa, muito bonita. Leve torrado, encoberto pelo malte caramelado e doce. 

Para comprar a Utenos, vocês podem tentar acessar o site da Svyturys (http://www.svyturys.com.br/).

Mas, pegando um gancho da minha resposta na pesquisa do Bob sobre sites de cervejarias, cuidado com algumas informações, pois segundo o site essa cerveja pode ser encontrada, entre outros lugares, no Tortula !

Receitas

A seguir listaremos algumas receitas desse estilo. E, antes que alguém pergunte: não, eu ainda não fiz nenhuma cerveja desse estilo!

:)

Receita Número 01 – Tiger From Riga (de Terry Foster)

Maltes
4,1 Kg de malte Pale Ale (57,5%)
1,4 Kg de malte Munich (19,2%)
910 gramas de malte Vienna (12,8%)
227 gramas de malte Special B (3,2%)
454 gramas de malte Crystal 40 L (6,4%)
70 gramas de malte Black (1%)

Lúpulos
28 gramas de lúpulo Perle por 90 minutos

Fermento
White Labs WLP820 Octoberfest Lager ou Saflager W34-70

Informações Gerais
OG: 1075
FG: 1020
ABV: 7,2%
IBU: 30
SRM: 49

Procedimento
Prepare aproximadamente 40 litros de água para a brassagem.

Faça a mosturação com 20/25 litros de água em 68ºC por 60 minutos ou até a conversão ter terminado.

Faça a lavagem até atingir uma OG pré-boil de 1062 e aproximadamente uns 25 litros de mosto.

Ferva por 90 minutos, resfrie, inocule o fermento e deixe-o trabalhar !

Receita Número 02 – Clone Okocim Porter

Maltes
7,25Kg de malte Pilsen
340 gramas de malte Crystal 65 L
113 gramas de malte Black
113 gramas de malte Chocolate
113 gramas de malte Munich
910 gramas de malte Vienna
227 gramas de malte Special B
340 gramas de maltodextrina

Lúpulos
45 gramas de lúpulo Northern Brewer (originalmente Polnischer Lublin) por 60 minutos
7 gramas de lúpulo Northern Brewer (originalmente Polnischer Lublin) por 15 minutos

Fermento
WYeast’s 2308 Munich Lager Yeast ou Saflager W34-70

Informações Gerais
OG: 1090
FG: 1025-1027
ABV: 8,1%
IBU: 29
SRM: 64

Procedimento
Prepare aproximadamente 40 litros de água para a brassagem.

Faça a mosturação com aproximadamente 25 litros de água em 68,4ºC por 75 a 90 minutos ou até a conversão ter terminado.

Faça a lavagem até atingir uma OG pré-boil de 1076 e aproximadamente uns 25 litros de mosto.

Ferva por 60 minutos, resfrie, inocule o fermento e deixe-o trabalhar !

ATENÇÃO: Procedimentos comuns para ambas as receitas

Após a fermentação primária, baixe a temperatura gradualmente até atingir 1ºC. Mature por 2 meses nessa temperatura, e 3 dias antes do envase suba a temperatura até uns 15ºC.

Carbonate com 5 gramas / litro no momento do envase, e aguarde no mínimo 10 dias até que a carbonatação esteja completa. Ou, se tiver equipamento, force a carbonatação com um cilindro de CO2.

Armazene as garrafas, após a carbonatação, em pé e preferencialmente em temperaturas frias. Essa maturação na garrafa também faz muito bem à cerveja !

Se por acaso tiver uma garrafa sobrando, estamos à disposição !
:)

Pontos Chave Para a Produção

Para se produzir um bom exemplar de uma cerveja do estilo Baltic Porter, alguns pontos podem ajudar (e muito) o cervejeiro caseiro. Seguem algumas dicas:

Sua cerveja deve ser encorpada, rica, intensa, mas menos lupulada e torrada do que uma Robust Porter. Para atingir esses requisitos, você pode:

  • Corpo adequado, maltado e dulçor residual: é interessante conduzir parte do processo de mosturação numa rampa de temperatura mais alta (por volta de 68ºC), para que o mosto contenha algum açúcar residual que não seja metabolizado pela levedura, e gere um corpo adequado no produto final. Para dar uma “roubada básica”, utilize alguns maltes que ajudem nessas características que puxam bem para o malte (como o Special B ou até mesmo o Melanoidina, com parcimônia). Ainda nesse quesito, Munich ou Vienna podem compor até 50% do grist.
  • Cuidado com os sabores torrados: repense as opções que você possui para utilizar os maltes escuros ! Pense fora da caixa ! Como o torrado não pode ser muito evidente – não pode ter aquele torrado pungente, acre, típico do Malte Black quando utilizados em maiores proporções – é interessante testar novas formas de se acrescentar esses maltes à sua receita ! Colocá-lo apenas na lavagem, ou até mesmo extrair-se um chá em separado e adicioná-lo na fervura são boas pedidas ! Segundo algumas literaturas, uma outra alternativa seria a utilização de um malte “Debbitered Black” ou “Dehusked Black”, que possui características mais suaves para os sabores torrados, porém não sei se esse tipo de malte pode ser encontrado com facilidade aqui no Brasil.
  • Fermentação: keep it clean ! A fermentação, que geralmente é feita com fermento Lager, deve ser feita de maneira a gerar pouca – ou nenhuma – contribuição do fermento. Nesse estilo, a estrela é o malte. Caso utilize fermento Ale, faça isso trabalhando na faixa mais baixa do fermento, e evite estressar a levedura. Inocule a quantidade adequada de fermento, e deixe ele trabalhar em paz!
  • Maturação: embora estejamos falando de uma Porter, lembre-se que se trata de uma Lager ! Uma maturação mais extensa, em temperaturas frias, fará muito bem à sua cerveja ! Eu já fiz cervejas Lager que, com meses de maturação a frio, tiveram uma evolução espetacular. A cerveja vai arredondando em termos de aromas e sabores, e a decantação de eventuais sólidos deixa a cerveja com um aspecto muito bonito.
    Outro ponto que gosto de levar em consideração é evitar grandes choques térmicos para as leveduras. Quando vou baixar a temperatura para iniciar a maturação, baixo no máximo uns 2ºC por dia, até atingir a temperatura desejada, que procuro deixar em 1ºC ou 2 ºC.

Pessoal, acho que essas eram as dicas que eu gostaria de passar a todos que estiverem interessados nesse estilo, principalmente aos que pretendem participar da 5ª edição do Concurso Cervejeiro Caseiro promovido pela cervejaria Bierland.

Estive tentando levantar dicas de lugares onde conseguir comprar alguns exemplares dos rótulos mencionados acima, mas esse é um estilo realmente difícil de se encontrar por aqui. Conforme eu encontrar cervejas interessantes à venda, eu vou atualizando o Post.

Com a entrega das amostras prevista para o mês de julho, quem correr poderá tentar pelo menos duas brassagens até a data limite.

Caso você consiga brassar mais de uma receita, guarde garrafas de ambos lotes em temperaturas baixas, e quando chegar o dia de enviar as amostras, deguste-as lado a lado e decida qual está em melhores condições para enviar para o concurso.

Espero ter ajudado de alguma forma, e caso tenham alguma dúvida e eu possa ajudar (levando em conta minhas muitas limitações técnicas e de tempo!), sintam-se à vontade para entrar em contato !

Grande abraço, e ótimas Baltic Porter a todos !

Fontes

1001 Beers You Must Try Before You Die
Tierney-Jones, Adrian
Quintessence, 2010

Baltic And Imperial Porter
All About Beer Magazine – Volume 34, Issue 4
September 26, 2013

Brewers Association Beer Style Guidelines
https://www.brewersassociation.org/

Brewing porters & Stouts
Foster, Terry
Skyhorse Publishing, Inc., 2014

Brewing Classic Styles
Zainasheff, Jamil / Palmer, John
Brewers Association, 2007

Clone Brews
Szamatulski, Tess and Mark
Storey Publishing, 2010

Great Beer Guide
Jackson, Michael
Dorling Kindersley Limited, 2000

Guia BJCP
2015 BJCP Style Guidelines

http://www.bjcp.org/

Tasting Beer
Mosher, Randy
Storey Publishing, 2009

Wikipedia
https://en.wikipedia.org/wiki/Porter_(beer)

Cartola Beer4Free: Temos um campeão !

Amantes da boa cerveja,

depois de 38 rodadas de um campeonato brasileiro alegre para uns e triste para outros, chegamos ao resultado da primeira edição da Liga Beer4Free no Cartola.

cartola

E o vencedor foi o time Marcantonio United, do cartoleiro Marco Antonio, que conseguiu incríveis 2090.87 pontos, levando o caneco (ou melhor, as taças) e as dez cervejas para casa !

Quem deu uma botafogada forte foi o cartoleiro Bruno Ceara, com seu time ImigranteSE FC, que foi líder por boa parte do segundo turno, mas na penúltima rodada entregou a liderança para o Marcantonio United – que contou com muita sorte e um gol do Henrique “Melhor do Mundo”, nos acréscimos, para tomar a dianteira !

Na última rodada, que era uma grande incógnita, conseguiu ainda abrir mais uns parcos pontinhos na liderança, mas fechou com apenas 17,05 sobre o segundo colocado !

Entretanto, somos muito caridosos e benevolentes aqui no Beer4Free !

Não é justo que o ImigranteSE FC fique na mão !
:)

Por isso, nobres cartoleiros, pedimos para que aqueles que ficaram nas cinco primeiras posições do campeonato na Liga Beer4Free entrem em contato conosco através do e-mail beer4free@beer4free.com.br nos informando nome e endereço completos !

Estamos na correria preparando o Kit do Marco Antônio – que tem toda a prioridade :) – mas em breve entraremos em contato com os demais cartoleiros do Top 5 !

Abraços, amigos, e obrigado pela participação de todos !

Cartola Beer4Free – Haja Coração, Amigo

Amantes da boa cerveja,

embora estejamos mais desaparecidos que o Marco Polo Del Nero dos compromissos da CBF, voltamos para desejar boa sorte aos Cartoleiros que ainda tem chance de ganhar o caneco na primeira edição da Liga Beer4Free do Cartola!

cartola

Marcantonio United e ImigranteSE estão travando uma disputa que chegou até a última rodada, e eles chegaram, incrivelmente, com o mesmo número de pontos na última rodada!

Isso sim que é emoção, não é esse Campeonato Brasileiro que já estava resolvido há muito tempo!

Mas se esses dois não abrirem bem os olhos, o Whisky City está chegando forte, já está em terceiro lugar, com reais chances de faturar o título no final do campeonato!

Haja coração, amigo, como diria Galvão Bueno!

Quem leva o título? Quem leva as cervejas?

Até domingo, amigos!

Boas cervejas e boa sorte a todos !

Festival de Cervejeiros 2015

Amantes da boa cerveja,

no mês de novembro teremos um evento imperdível para quem produz sua própria cerveja, para quem tem curiosidade sobre esse tema ou mesmo para aqueles que apenas apreciam uma boa cerveja: o Festival de Cervejeiros 2015, organizado pela ACervA Paulista.

festival_banner

Nesse festival, que ocorrerá no final de semana de 20 a 22 de novembro (feriado prolongadíssimo!), teremos um Congresso Técnico que contará com palestrantes do Brasil e internacionais, abordando temas de extrema relevância para todos aqueles que se interessam pelo processo de fabricação ou pelo mercado cervejeiro como um todo, mercado esse que se encontra em expansão, apesar da crise vivenciada pelo país.

As palestras ocorrerão na sexta e no sábado, 20 e 21 de novembro, e serão ministradas no ICB – Instituto da Cerveja Brasil, situado à Avenida das Carinás, 417, no horário das 9 às 19h30 hs.

A programação será a seguinte:

festival_programacao_01 festival_programacao_02

Os palestrantes, figuras com muito conhecimento e nome no mercado, serão os seguintes:

Internacionais (com tradução simultânea)
Hans Müller
Nathan Zeender
Pat Fahey

Nacionais
Alexander Weckl
André Cancegliero
Edu Passarelli
Fred Ming
Humberto Ribeiro
Leonardo Sewald
Luís Celso Jr
Marina Pascholati
Victor Marinho

E, pra completar, após dois dias de muito conhecimento, teremos uma festa de rua gratuita e aberta ao público, com muita cerveja boa, comida, música e gente bacana. Essa festa será na Associação Cultural Cecília, situada à Rua Vitorino Carmilo, 449.

A festa ocorrerá das 11h às 19h.

Para baixar a programação completa clique aqui.

Para comprar seu ingresso clique aqui.

E para maiores informações sobre o festival, clique aqui.

Pessoal, é uma oportunidade única de adquirir muito conhecimento, fazer novas amizades e contatos, beber muita cerveja boa… enfim, tudo de bom !

Nos vemos lá !

 Bons goles e até o festival, amigos !

6º Concurso Estadual de Cervejeiros – Veja como foi

Amantes da boa cerveja,

entre os dias 21 e 26 de setembro ocorreu o julgamento do 6º Concurso Estadual de Cervejeiros de São Paulo !

estadual_resultado

O estilo escolhido para o concurso desse ano foi o 22A – Double IPA (Família 22: Strong American Ale – BJCP 2015).

O primeiro colocado, além do troféu e certificado, terá aproximadamente 1.900 litros da sua cerveja produzida na cervejaria Dádiva e vendida como cerveja sazonal da casa, recebendo 30 litros desta produção, além de participar de todo o processo de brassagem na fábrica.

Os segundo e terceiro lugares, receberão troféu, certificado e, respectivamente, 18 e 12 unidades de cervejas do portifólio da cervejaria Dádiva.

Eu tive o privilégio e a honra de participar do julgamento em alguns dos dias (ou melhor, das noites), e foi uma experiência gratificante poder ajudar na decisão das finalistas, nas mesas de mini BoS (onde as melhores cervejas de cada dia eram colocadas lado a lado para que fosse selecionada a amostra que estaria na mesa final, no sábado) e também na mesa final, onde foram selecionados o vencedor, o segundo e o terceiro colocados dentre as amostras classificadas para a mesa final.

BoS_01

BoS_02

Nessa mesa final, após alguns debates sobre as amostras analisadas, os juízes Marcelo BenitoGiuliano Matos (eu! :) ), Marcelo Breda, Paulo Almeida e Victor Pereira Marinho chegaram ao resultado final, que foi o seguinte:

estadual_02

estadual_03

1º lugar: Jorge do Val
2º lugar: Sérgio Müller
3º lugar: Leonardo Sardinha
4º lugar: Evandro Sanches
5º lugar:Tiago Bittar

estadual_01
Eu (esquerda), Sérgio Muller (vice-campeão, centro) e Jorge do Val (campeão, direita) !

Gostaria de parabenizar a todos os cervejeiros que participaram do concurso e a todos que de alguma forma ajudaram na organização, sem vocês a realização do concurso não seria possível.

Um obrigado especial a todos os juízes:

Alessandro Morais
André Cancegliero
Cauê Santos
David Michelson
Douglas Giacomini
Elizabeth Marino
Fred Ming
Giuliano Matos
Guilherme Hoffmann
Guto Procópio
Juliana Behr
Julio Bernardo
Katia Tanner
Kethlyn Diniz
Luis Celso
Luis Nascimento
Marcelo “Benito” (foi em TODOS os dias, obrigado Benito!)
Marcelo Breda
Patrick Bannwart
Paulo Almeida (foi em TODOS os dias, obrigado Paulão!)
Rodrigo Casarin
Rodrigo Turini
Tegnus Lamas
Victor Bonomi
Victor Marinho

Além dos juízes, foram de importância fundamental também todos que participaram do Staff do concurso:

Bruno Lins da Costa Borges
Fernando Henrique de Abreu
Fernando José Ganzelli Lima de Azevedo
Gilberto Grassi
Guilherme Fernandes Momesso
Katia Tanner
Maicon Luiz de Souza
Marcio Marchetti Kovacs
Marco Antonio Bernardo Filho
Oscar de Palacios

“Aê, desce mais uma Double IPA e uma porção de fritas” !!!!!!!!
hahahahahahahahaha

Obrigado mesmo, pessoal !

E, finalmente, eu gostaria de deixar um agradecimento em especial a Igor Puorro e a Lari Paschoal, que foram sem dúvida as pessoas que mais trabalharam para viabilizar a realização desse concurso.

Parabéns pela ótima organização e pelo excelente trabalho, tanto no planejamento como na execução desse planejamento ao longo dos últimos dias: recebimento e acondicionamento das amostras, preparação do ambiente para julgamento, recrutamento dos juízes, compra de pãozinho, água e a condução da avaliação ao longo de toda a semana !

PARABÉNS !  Vocês sempre terão minha admiração e meu respeito !

E obrigado a todos por ajudar e fazer acontecer um concurso dessa magnitude !

Ah, e claro, agradeço imensamente também à Luiza Tolosa e à Cervejaria Dádiva, que, acreditando no potencial dos cervejeiros da ACervA Paulista, ofereceu a possibilidade de realizarmos essa parceria no primeiro rótulo ultra-lupulado de seu portfólio !

Obrigado !

Bom pessoal, só sei que foi assim !

Bons goles a todos, e bora esperar a brassagem na Dádiva… já tá pronta? Já tá pronta? Já tá pronta? Dizem que fica pronta em novembro…

Sortearei algumas dessas belezinhas no aplicativo Beer4Free assim que estiverem prontas !

 Abraço, galera !

Microcervejarias no Simples: um dia histórico !

Amantes da boa cerveja,

o dia 1 de setembro de 2015 tem tudo para se tornar um dia histórico para a cerveja artesanal no Brasil: foi aprovado, quase por unanimidade – apenas 2 votos contra – de maneira categórica o projeto de lei que tratava de uma série de alterações no Super Simples, entre elas as alterações de faixa de receita e a tão falada inclusão das micro cervejarias no Simples !

micros_simples

Um grande, na verdade um enorme passo, mas ainda restam algumas etapas a serem cumpridas: o projeto agora vai para o Senado, onde necessita de maioria absoluta – a metade mais um dos 81 senadores - e depois, caso passe pelo Senado, o projeto vai para o colo da PresidentA Dilma, para que seja sancionado ou vetado.

 Na minha opinião, será apenas para cumprir as formalidades, dada à uniformidade de opiniões e discursos de todos os deputados, tanto da situação como da oposição. No Senado acredito que não vá ser diferente. Nem parecia o Brasil !

Gostaria de deixar aqui meus cumprimentos e agradecimentos para tantas pessoas que trabalharam exaustivamente pela aprovação desse projeto, além daqueles que divulgaram e fizeram barulho nas redes sociais: a Abracerva, representada por seu presidente Jorge Gitzler , e também não podemos nos esquecer do trabalho de Marcelo Carneiro, seu antecessor no cargo; o Ministro Afif Domingos e os parlamentares Jorginho Mello, Covatti Filho, Guilherme Campos, além de tantos outros; e todos os cervejeiros e simpatizantes que tumultuaram as redes sociais com informações sobre o andamento do projeto e orquestraram a pressão nos parlamentares por e-mail e outros meios, como Murilo Foltran – o mais empenhado na aporrinhação dos caras, com certeza! – Alexandre Bazzo, Victor Pereira Marinho, Maurício Beltramelli, Leonardo Satt, Leonardo Sewald, David Michelsohn, Bruno Moreira de Brito, Frederico Ming, Marcelo Holl Cury, Marcelo Ribeiro, André Cancegliero, Bob Fonseca, Alexandre Xerxenevsky, Paulo Almeida, Frank Skwirut,  e tantos, tantos outros que ajudaram nessa mobilização !

Parabéns a vocês ! Essa vitória é de todos nós !

E agora a luta é no Senado !

Bons goles e é hoje que me acabo nas artesanais, pra comemorar um pouquinho… na minha geladeira sempre tem espaço para todas !

artesanais